Projetos que fazem a diferença: conheça melhor a arquitetura solidária

Fonte: orksidstudio.com
Fonte: orksidstudio.com

Ser arquiteto vai muito além de simplesmente elaborar plantas e conduzir obras. Esse profissional possui um papel social importantíssimo, e se souber aproveitar todo o potencial de seu trabalho pode mudar a vida de milhares de pessoas. Para mostrar como isso é possível, nós trouxemos, em parceria com o site Habitissimo, essa seleção de projetos que demonstram um pouco da importância da arquitetura solidária para toda a humanidade. O resultado certamente é encantador!

 

Fonte: quixotevillage.com

 

Orfanato da Luz – Quênia

Quando as crianças são levadas para um orfanato, na maioria das vezes é porque já se encontram em uma situação maior de desamparo e de vulnerabilidade. Pensando nessas condições, o Orkistudio, uma cooperativa de projetos humanitários, desenvolveu o ST. Jerome´s Center, um, edifício todo feito de madeira e terra, destinado a dar abrigo às crianças abandonadas. Um dos destaques dessa construção é o fato de proporcionar às crianças espaços individualizados para preservar a sua intimidade, além das luzes que trazem alegria ao orfanato. Outro ponto que chama a atenção é o fato de a obra ter sido concluída em apenas 8 semanas, com um custo total de 50 mil libras esterlinas.

 

Fonte: orksidstudio.com

 

Fonte: orksidstudio.com

 

Fonte: orksidstudio.com

 

Nader Khalili e o superadobe

Que tal conhecer uma construção que devido à sua alta resistência chegou a ser apresentada à NASA e esta passou a estudá-la para quem sabe utilizá-la em futuras colônia lunares? Pode até parecer ficção científica, mas é a mais pura realidade. Estamos falando do superadobe, um método construtivo desenvolvido pelo iraniano-americano Nader Khalili na década de 70. Esse arquiteto premiado pela ONU percorreu o deserto procurando formas de construir abrigos para os mais necessitados até que desenvolveu o método superadobe: um modelo construtivo que utiliza sacos de terra unidos por arames farpados e altamente resistente.

 

Fonte: inhabitat.com

 

Fonte: permaculture.top

 

Fonte: ranchouha.com

 

Ginásio multifuncional – Quênia

Quando existem dois problemas a serem resolvidas, nada melhor do que encontrar uma solução que possa resolvê-los mesmo tempo. Foi isso que fez o projeto desenhado por Greg Elsner para uma área rural do Quênia. O edifício multidisciplinar foi criado como um espaço para as crianças estudarem e praticarem esportes, além de servir como ponto de reunião e ajudar a captar a água da chuva através do telhado, já que uma forte seca atinge o local.

Fonte: oldnobelity.com

 

Fonte: oldnobelity.com

 

Fonte: oldnobelity.com

 

Escolas móveis – Birmânia

Na fronteira entre a Tailândia e a Birmânia, os arquitetos Amadeo Benetta e Dan La Rossa, assessorados pela organização sem fins lucrativos Building Trust desenvolveram um projeto de Escola Móvel, ou Moving Scholl para que as crianças pudessem estudar em espaços que são facilmente montados e desmontados e reconstruídos novamente, já que a região sofre com problemas relacionados a direitos sobre a terra e fenômenos climáticos, o que faz com que as comunidades tenham que se deslocar com frequência.

Fonte: archdaily.com

 

Fonte: archdaily.com

 

Fonte: archdaily.com

 

Fonte: archdaily.com

 

Quixote Village – EUA

Basta olhar ao nosso redor nas grandes cidades brasileiras para perceber a quantidade de pessoas que se encontram em situações precárias por não terem moradia. Muitas delas se abrigam embaixo de pontes e viadutos, o único local coberto que conseguem encontrar. Para resolver problemas como esse, nos EUA foi criada a Quixote Village, uma comunidade em Washington auto-gerenciada por cerca de 30 adultos como modelos de casas de baixo custo, feitas em um espaço reduzido que é suficiente para abrigar uma casa e trazer certa privacidade aos moradores. Para as necessidades de alimentação e higiene a Quixote Village oferece espaços comuns aos seus moradores.

Fonte: quixotevillage.com

 

Fonte: quixotevillage.com

 

Casas de Areia – África do Sul

O resultado de um concurso realizado na África do Sul, mais especificamente na Cidade do Cabo, para premiar projetos de arquitetura que tivessem como proposta dar abrigo aos menos favorecidos com um custo máximo de 7 mil dólares não poderia ter sido melhor. O vencedor foi um projeto inspirado no trabalho de Nader Khalili, desenvolvido pela empresa local MMA, que apresentou casas desenvolvidas com esqueletos de sacos de areia.

 

Fonte: designindaba.com

 

Fonte: designindaba.com

 

Fonte: designindaba.com

 

Fonte: designspeaceafrica.com

 

Casa do Futebol – Brasil

Não é preciso ir muito longe para encontrar projetos de arquitetura solidária que revelam como é possível transformar o mundo em um lugar melhor. Aqui mesmo no Brasil existe uma proposta desenvolvida pela “1 Week 1 Project” formado por Axel de Stampa e Sylvain Macaux, que tiveram a ideia aproveitar os estádios brasileiros construídos para a copa do mundo em uma espécie de moradia para dar abrigo aos mais necessitados. Por enquanto o projeto ainda não saiu do papel, mas certamente merece ganhar destaque.

 

Fonte: efe.com

 

Fonte: efe.com

 

Ponte da educação – China

Que tal conhecer uma ponte que serve não apenas como passagem, mas também como centro educacional? Essa é a realidade da ponte construída na região chinesa de Fujian, em uma vila remota que precisava da ponte para ligar o centro da vila com a antiga fortaleza, localizada do outro lado do rio e de alto valor histórico. Pensando em atender essa necessidade e ir um pouco além, o arquiteto Li Xiaodong criou um projeto de passarela que conecta os dois lados e ainda dispõe de salas extras para servirem como centro educacional. A ideia é genial, não?

 

Fonte: gigabase.org.com

 

Fonte: gigabase.org.com

 

Fonte: gigabase.org.com

 

Fonte: gigabase.org.com

 

Convento de bambu – Equador

Essa construção merecia levar um prêmio apenas pela sua beleza. Mas além dessa qualidade, o projeto elaborado pelo arquiteto Erique Mora teve como objetivo suprir as necessidades religiosas de Chone, uma área rural da costa Equatoriana, utilizando um material que fosse barato e abundante: o bambu. Com um orçamento de apenas 15 mil dólares, esse convento foi erguido utilizando 900 bambus, 8 troncos de árvore de louro e mão de obra local.

 

Fonte: dicasdearquitetura.com

 

Fonte: domestika.com

 

Casas de Papelão por Shigeru Ban

 Ao longo desse texto você já percebeu que para a arquitetura solidária não há limites. Mesmo com poucos recursos e muitas dificuldades é possível desenvolver projetos inovadores e que fazem a diferença para a sociedade. Para finalizar com mais uma ideia que segue essa mesma tendência, apresentamos as casas feitas de papelão, peças plásticas e caixas de cerveja, idealizadas pelo ganhador do prêmio Pritzker, algo como o Nobel da Arquitetura, o japonês Shigeru Ban.

Fonte: shigerubanarchitects.com

 

Fonte: theaspen.com

 

no replies

Leave your comment